5 ações do bem em tempos de coronavírus

Os mais vulneráveis são os que mais sofrem com a crise causada pela pandemia; veja empresas que deram bons exemplos de solidariedade

Por: Marcio Mazzalli, Founder & CEO Mazzatech
Escrito em: 30/04/2020

Além de toda a preocupação com a saúde pública, a crise sem precedentes gerada pela pandemia de coronavírus aumentou o déficit social que já era realidade entre populações mais vulneráveis. Por isso, é importante que pessoas e empresas com condições melhores de vida movimentem-se em prol da sociedade.

A seguir, listei 5 ações sociais criadas durante a pandemia. Inspire-se:

  • Mazzatech – doações de cestas básicas

A Mazzatech é uma empresa especialista em encontrar oportunidades de trabalho a profissionais do setor de tecnologia, unindo as melhores empresas aos melhores profissionais. A empresa já conta com um programa social, chamado de MazzaMais, que atende diversas famílias em condições de vulnerabilidade.

Recentemente, por meio desse programa, lançou uma ação social contra a recessão e a fome na pandemia: para cada vaga de trabalho fechada pelas empresas, serão doadas 25 cestas básicas a famílias que estiverem passando por necessidades. As empresas que fecharem as parcerias, inclusive, podem indicar essas famílias ou instituições e acompanhar o processo de entrega.

  • Ambev – doação de álcool em gel

A Ambev é a maior cervejaria do mundo e é dona de marcas como Brahma, Skol, Antarctica e Stella Artois. Com o agravamento da crise do coronavírus, a empresa destinou parte da capacidade de suas fábricas para produzir álcool em gel.

A princípio, a Ambev estimava uma produção de 500 mil unidades do produto embalado, mas no começo de abril, comprou mais equipamentos e incluiu outra fábrica no processo, dobrando a quantidade de produção para 1 milhão de unidades.

A produção será destinada, gratuitamente, a hospitais e secretarias de saúde de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

  • Empresas de lingerie – fabricação de máscaras de proteção

Diversas empresas fabricantes de roupas íntimas estão dedicando parte de sua produção para fazer máscaras de proteção a partir dos bojos dos sutiãs.

As máscaras são essenciais para evitar o contágio e a transmissão do novo coronavírus, mas com a alta procura em um curto período de tempo, muitas cidades ficaram desabastecidas.

Em Minas Gerais, onde se concentram dezenas de empresas que produzem lingeries, as marcas estão produzindo as máscaras para doar a secretarias de saúde e vender à população a preço de custo. Em alguns casos, as máscaras podem ser compradas por R$ 1.

  • Magazine Luiza – doação de colchões e equipamentos

A Magazine Luiza, gigante do varejo no Brasil, já doou mais de 4 mil colchões e travesseiros para populações vulneráveis, principalmente, nos estados da Bahia e do Pará.

A empresa doou monitores cardíacos para o Instituto Emílio Ribas, hospital de referência no tratamento de doenças infecciosas em São Paulo, e ventiladores pulmonares para UPAs e Santas Casas.

Além disso, a Magalu anunciou que vai doar mais R$ 10 milhões em equipamentos médicos para hospitais públicos e filantrópicos de todo o país.

  • Chef Henrique Fogaça – doação de marmitas a moradores de rua

O chef Henrique Fogaça, famoso por ser jurado do reality show de gastronomia Masterchef, se juntou a outros proprietários de restaurantes e criou o Marmita do Bem. O projeto organizou uma campanha de arrecadação na internet que já acumulou mais de R$ 90 mil para fazer refeições para moradores de rua de São Paulo.

E você, o que tem feito para ajudar o próximo em meio a essa crise? Comente aqui! 🙂