Surpresa: o Google lançou uma prévia do Android 11 para desenvolvedores nesta quarta-feira (19) para Pixel 2, 3, 3a, e 4. A nova versão inclui melhorias voltadas para 5G, privacidade, notificações, atualizações de segurança e até formatos diferentes de notch na tela.

O Android 11 está disponível para instalação manual no Pixel 2, 2 XL, Pixel 3, 3 XL, Pixel 3a, 3a XL, Pixel 4 e 4 XL; a primeira geração do celular não será atualizada. Outros dispositivos não são compatíveis. O Developer Preview não é pensado para uso diário: trata-se de uma versão preliminar para testar apps e obter feedback.

Como é de costume, as primeiras novidades anunciadas pelo Google ficam nos bastidores; a empresa guarda os recursos mais interessantes para o evento I/O, que ocorrerá em maio.

Android 11 traz bolhas de notificações

O sistema ganhará suporte nativo a notificações em bolhas: é algo bem semelhante aos “ícones de bate-papo” no Facebook Messenger, permitindo acessar rapidamente uma conversa ao tocar no rosto da pessoa. (Isso foi testado no beta do Android 10, mas removido antes da versão final.)

Android 11

Haverá uma seção exclusiva para conversas na tela de notificações, permitindo encontrar as mensagens mais recentes de diversos aplicativos de SMS e chat. E será possível colar imagens direto nas respostas de notificação.

Quanto à privacidade, o Android 11 está ganhando a opção “apenas uma vez” para liberar acesso à localização, câmera e microfone. Ou seja, toda vez que o app pedir essas informações mais sensíveis, o usuário terá que autorizar. (O iOS 13 oferece a opção “permitir só uma vez” para localização.)

Android 11

Os desenvolvedores poderão silenciar o recebimento de notificações, alarmes e toques durante a gravação de vídeos ou captura de fotos. Eles também poderão adaptar a interface do app para telas com notch em forma de gota, ou para displays com furo para a câmera frontal.

Android 11 tem recursos para 5G

O Android 11 vem com APIs de conectividade atualizadas para o 5G. Será possível estimar a largura de banda upstream e downstream em redes de quinta geração, além de liberar o uso de internet (tal como no Wi-Fi) caso a operadora não tenha restrições de franquia de dados.

Para economizar espaço, os desenvolvedores poderão usar arquivos HEIF animados em vez de GIFs; isso também pode acelerar o download do aplicativo. “As sequências de imagens HEIF podem oferecer reduções drásticas no tamanho do arquivo quando comparadas aos GIFs animados”, explica o Google.

Por fim, temos a expansão do Project Mainline: ele permite que o celular ou tablet receba atualizações de segurança através da Play Store, sem depender da fabricante. O Android 11 possui mais 12 novos módulos atualizáveis, para um total de 22, incluindo um módulo de redes neurais.

Se você tiver um Pixel e quiser experimentar o Android 11, é possível baixar o DP1 (Developer Preview 1) neste link.

 

Fonte: Gizmodo, Google